Indústrias de calçados começam a vender para 2020.

 

A Zero Grau – Feira de Calçados e Acessórios segue com movimentação intensa nos mais de 320 estandes da indústria brasileira do calçado, em Gramado (RS). O varejo, depois de um ano de baixas vendas, está se mostrando mais disposto por compras dos lançamentos para o outono/inverno 2020. Nos corredores da feira se observa muito otimismo por parte dos industriais. Todos afirmam que os lojistas estão com disposição de comprar. Depois de um ano com maior retração parece que agora o desejo é retornar para um novo momento de consumo. “Estou presenciando um novo ânimo entre os empresários, tanto da indústria como do varejo. Todos têm consciência de que os próximos meses ainda serão duros, mas certamente com um pouco mais de folga. Acredito até numa retomada de mão de obra a médio prazo”, diz Frederico Pletsch, diretor da Merkator Feiras e Eventos, promotora da feira que acontece até esta quarta-feira (20), nos pavilhões do Serra Park.

Prova desta declaração de Frederico Pletsch são as avaliações de empresários como Analdo Moraes, diretor de Calçados Bebecê, de Três Coroas (RS), que acredita que o próximo ano vai começar bem melhor do que este ano e já projeta uma expectativa de crescimento em torno de 10%. Calçados Bibi, de Parobé (RS) também fala em bom desempenho e encerra este ano com números positivos. Somente na operação de franquias encerra 2019 com 124 lojas, com oito no exterior. E estas projeções continuam para 2020. “Nas franquias pretendemos crescer algo em torno de 20% e no grupo todo estamos trabalhando com um percentual de 10%, diz Andrea Kohlrausch. Ela salienta também um desempenho positivo nas operações de multimarcas. Outro empresário gaúcho que segue esta linha é Orceni Bernardes, da Divalesi, de Três Coroas (RS). “Acreditamos que teremos espaço para crescer 15% em 2020.

SPOT FASHION - Na terça-feira, 19, o estilista Dudu Bertholini fez uma palestra no ambiente de informação e discussão da feira com o nome: “Do movimento hippie à moda disruptiva: 50 anos de transformações no universo calçadista”. Ele traçou um panorama histórico da moda, para que se entender o presente e imaginar o futuro que se busca desenhar, abordando o desafio que a moda tem em gerar impacto positivo no mundo. Amanhã, quarta-feira, 20, às 11h, a atração é a cantora, a dançarina e a empresária Gretchen, mediada pela jornalista de moda, Heloísa Tolipan, batem um papo sobre “Viralizou e agora? Os limites da transformação digital e as relações humanas”. Gretchen vai relembrar o processo que a reposicionou no mercado e a colocou em contato com novos públicos, a transformando na rainha dos memes.