Feira presencial marca retomada da economia do calçado

Zero Grau – Feira de Calçados e Acessórios acontece, em Gramado (RS), até quarta-feira, 18, no Serra Park.

Chegou o tão esperando momento: a edição presencial da Zero Grau – Feira de Calçados e Acessórios 2020. Foram muitas incertezas e muitas dificuldades em um curto espaço de tempo: foram cerca de 50 dias desde o Governo do Estado do Rio Grande do Sul liberar o evento até a sua abertura hoje, em 16 de novembro. E a feira tomou forma dentro de uma realidade diferente, mas com a beleza dos estandes, a imponência das coleções e os cuidados sanitários. “Estou emocionado. Foi muita pressão, muitas noites sem dormir, mas enfim conseguimos derrubar mais este muro”. Estamos aqui fortes para uma retomada de negócios e rumo ao novo vigor do setor calçadista brasileiro”, diz Frederico Pletsch, diretor da Merkator Feiras e Eventos, promotor da Zero Grau. “Mas a minha principal constatação é de que só conseguimos construir esta feira pela união de fabricantes e de lojistas, empenhados no bem do setor. Foram construídos muitos muros para impedir este momento, mas todos vão cair a partir de agora”, sublinha Pletsch.  A Zero Grau – Feira de Calçados e Acessórios lança as coleções outono/inverno da indústria calçadista nacional 2021 para o Brasil e toda a América Latina.

E fabricantes se alinham neste esforço da promotora. “Esta feira é uma experimentação para todos. E creio que estar aqui é o fato mais importante para o mercado,” diz Werner Junior, diretor da Werner Calçados. “Quando a Merkator nos procurou para desenvolver o evento, concordamos imediatamente, porque nós víamos que estava na hora de começar a movimentarmos o setor novamente.  Mesmo ciente de todas as medidas sanitárias, nos encaixamos, pois acreditamos que temos que retomar os negócios”, diz o empresário.

Maribel Silva, diretora comercial da Beira Rio, diz também que a importância desta feira é dela ser a primeira de forma presencial.  A primeira feira ainda com a pandemia. A gente sente que o cliente precisa desse contato, onde além da coleção, a gente troca ideia sobre o mercado, coloca a expectativa de como vai ser o final do ano, os negócios. Então é um momento de fortalecer o relacionamento e já antecipar a coleção. A feira tem um significado importante, para fazer com que o janeiro e fevereiro, o início do próximo ano, seja diferenciado através de novidades com coleção nova e também a coleção outono-inverno vem com mais tempo para que o cliente possa analisar, investir com assertividade”, diz ela.